CROMO

O cromo é o vigésimo primeiro elemento mais abundante na crosta terrestre, em peso. Sendo assim é produzido em grtande escala e empregado em grandes quantidades em ligas de ferro e com metais não-ferrosos além da eletrodeposição.
O único minério de cromo de importância industrial é a cromita, FeCr2O4 . Ela é o análogo de cromo da magnetita, Fe3O4 . A cromita tem um leve brilho e um aspecto semelhante ao piche, com tons de marrom na cor. Ela pode ser ligeiramente magnética. A produção mundial de cromita em 1988 foi de 11,7 milhões de toneladas, sendo os principais produtores a Àfrica do Sul (36%), a ex-URSS (28%), Turquia (7%), Índia (6,5%), Albânia (6%) e Finlândia e Zimbabue (5% cada).

O cromo é obtido em duas formas: ferrocromo e o metal cromo puro, dependendo do uso que se destina. O ferrocromo é uma liga contendo Fe, Cr, e C. Em 1988 foram produzidas 3,3 milhões de toneladas de ferrocromo. É obtido reduzindo a cromita com C. É empregado na obtenção de muitas ligas de ferro, incluindo o aço inoxidável e o aço-cromo, muito duro.

FeCr2O4 + C =(forno elétrico)=> (Fe + 2Cr) + 4CO

Diversas etapas são necessárias para a obtenção do cromo puro. Inicialmente a cromita é fundida com NaOH em presença de ar, com o que o Cr se oxida a cromato de sódio.

2FeCr2O4 + 8NaOH + 1,5 O2 =1100.C=> 4Na2CrO4 + Fe2O3 + 4H2O

O Fe2O3 é insolúvel, mas o cromato de sódio é solúvel. Assim, pode ser removido por dissolução em água, solução que é então acidulada para formar o dicromato de sódio. Este é menos solúvel, podendo ser precipitado. O dicromato de sódio é reduzido pr Cr2O3 por aquecimento com C.

Na2Cr2O7 + 2C => Cr2O3 + Na2CO3 + CO
Cr2O3 + 2Al => 2Cr + Al2O3

Como o metal é quebradiço, raramente é usado como metal puro, porém o é para preparar ligas não-ferrosas. Em outro uso, o Cr2O3 é dissolvido com ácido sulfúrico e depositado eletroliticamente sobre a superfície de um metal. Isso protege o metal da corrosão e lhe comunica um aspecto brilhante. Outra aplicação desta substância é a aplicação sobre revestimentos de zinco, no qual recebe o nome de camadas de conversão.O Cr é inerte ou passivo a baixas temperaturas, por ser revestido por uma camda superficial de óxido, assemelhando-se ao titânio, vanádio e alumínio. Por causa deste comportamento passivo, o Cr é extensivamente usado em eletrodeposição sobre o ferro ew outros metais para evitar a corrosão. Ele é solúvel em Hcl e H2SO4, mas torna-se passivo frente a HNO3 ou água-régia.

Cromatos e dicromatos

O cromato de sódio é um sólido amarelo, que a rigor deveria ser chamado de cromato (VI) de sódio. Sua preparação a partir da cromita com NaOH e oxidação com o ar já foi descrita acima. Porém, pode ser também preparado por fusão com Na2CO3:

4FeCr2O4 + 8Na2CO3 + 7O2 => 8Na2CrO4 + 2Fe2O3 + 8CO2

Ele é bastante solúvel em água e é um forte agente oxidante. O dicromato de sódio é um sólido de cor laranja, obtido por acidulação de uma solução de cromato. O dicromato é menos solúvel em água, e é muito usado como agente oxidante. Na análise volumétrica prefere-se o uso do dicromato de potássio no lugar de dcromato de sódio, pois o composto de sódio é higroscópico, enquanto que o composto de potássio não o é.

Quando se adiciona peróxido de hidrogênio a uma solução acidulada de um cromato ocorre uma reação complicada. Os produtos dependem do pH e da concentração de Cr.

Cr2O72- + 2H+ + 4H2O2 => 2CrO(O2)2 + 5H2O

Forma-se um peroxo-composto, CrO(O2)2 , de cor violeta intensa. Em solu’cão aquosa esse composto se decompõe rapidamente em Cr3+ e oxigênio. O peroxo-composto pode ser extraído por éter, no qual ele reage com piridina, formando o aduto piridina CrO(O2)2.Em soluções menos ácidas o dicromato de potássio e a água oxigenada formam sais diamagnéticos de coloração violeta.

Ácido Crômico (CrO3)

O trióxido de cromo é um sólido alaranjado brilhante, comunente chamado de ácido crômico. É preaparado usualmente adicionando ácido sulfúrico concentrado a uma solução saturada de dicromato de sódio.

Na2Cr2O7 + H2SO4 => 2CrO3 + Na2SO4 + H2O

Entre suas aplicações pode- citar o uso em soluções para cromação, podendo ser usado em ácido acético como oxidante na química orgânica, embora as reações possam ser explosivas. Soluções de ácido crômico (sulfocrômica) são utilizadas em laboratório para limpeza de vidraria, pois oxidam toda matéria orgânica presente na sujeira.

Quanto à sua importância biológica, o Cr são necessários na dieta de maméferos. O Cromo trivalente e a insulina estão ambos envolvidos na manutenção do nível correto de glicose na sangue. Em casos de deficiência de Cr, a velocidade de remoção da glicose do sangue é metade da velocidade normal. Alguns casos de diabetes podem refletir um metabolismo defeituoso de Cr. O aspecto médico mais importante dos sais de cromo é o carater cancerígeno dos mesmos, quando ingeridos ou em contato com a pele em maiores quantidades.